sexta-feira, fevereiro 25

Inseguranças de um mundo pronto


Eu tenho sonhos
feito meninos
que gerei e crescem comigo.
Feito meninos muito amados
chegaram para ser a minha luz
e  eu estive ali
fui companhia e abrigo
dei o alimento
e fui o amigo.
Presença
é a palavra!
Se dedicação fosse um lugar
eu teria rodado milhares de quilômetros
por eles.
Dei a meus meninos o suor todo
do meu ser.
E nem me importo comigo se penso neles
por eles tudo amo,
amo com todas as forças que tenho.
Por eles faço tudo o que puder.
E se precisar faço ainda o que não posso.
Quis abrir a estrada e enfeitar o caminho deles.
Achei que tudo o que me fez falta
eu poderia lhes dar
para que não tivessem pedaços amassados em seus corações.
 Os meus meninos conseguiriam amar
e não ter mágoas
 porque eu estava ali.
Fui a criança que brinca
e a mão que embala.
Fui doce como a brisa
e ensinei o limite de cada um.
Tive que ensinar a força
o prumo,
lapidar cada menino.
Mas o tempo passou
e talvez a minha tristeza hoje
foi perceber
que por nunca ter ganhado o pão
meus meninos não entendem
o sentido verdadeiro
da amizade e do amor
ágape.
E eu tenho medo
de que tenha construído
fraquezas em vez de fortalezas.
Por isso
quando olho para o futuro
não consigo pensar alegremente
pois o medo me prende
quando visualizo
meus meninos sem mim.
Talvez o fato de estarmos à sombra
de alguém que nos protege
tire de nós
esse desejo latente de servir
e ser aquele que fará a diferença.
Será que o amor mudou de forma
no coração das pessoas?


Um comentário:

Renata!!! disse...

Que lindo!

Parabéns!

beijinhos